LIDERADOS PELO BRASIL, PAÍSES LUSÓFONOS EXPANDEM EM 40,8% COMÉRCIO COM A CHINA

LIDERADOS PELO BRASIL, PAÍSES LUSÓFONOS EXPANDEM EM 40,8% COMÉRCIO COM A CHINA

O valor total das trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa atingiu US$ 90,98 bilhões no primeiro semestre de 2021, representando um aumento de 40,8%, ante o mesmo período de 2020.

Em comparação com o mesmo período de 2019, quando se registrou um valor total de US$ 70,14 bilhões, o crescimento foi de 29,7%.

Em termos de países específicos, o Brasil, o maior parceiro comercial da China entre os integrantes do grupo, viu um crescimento de 42,8% em termos anuais no valor total das importações e exportações com a China, que chegou a US$ 74,33 bilhões.

Angola, o segundo maior parceiro comercial da China entre os países de língua portuguesa, testemunhou um aumento de 25,1% no valor total das trocas comerciais com o país asiático, com US$ 10,65 bilhões.

As importações e exportações entre a China e Portugal totalizaram US$ 4,16 bilhões, um aumento de 35,7% em comparação com o mesmo período de 2020. Quanto a Moçambique, o valor atingiu US$ 1,6 bilhão, um crescimento anual de 49%.

As trocas comerciais entre outros países de língua portuguesa e a China ficaram menos de US$ 1 bilhão, para cada país.

O comércio entre a China e os países lusófonos mantém uma tendência de expansão. Em junho, as exportações brasileiras de carne bovina para a China bateram novo recorde. O Brasil exportou 81,95 mil toneladas de carne bovina para a China no mês, segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC). De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia do Brasil, compilados pela ABIEC, o volume de exportação cresceu 21,7% em comparação com maio.

Para Portugal, além de vinho, o mercado chinês também tornou-se um dos mais importantes para a carne de porco, apesar das exportações só terem começado em março de 2019.

Quanto ao minério, o porto de Rizhao, na Província de Shandong, no leste da China, já começou a receber navios de grande porte da mineradora brasileira Vale do tipo Guaibamax em agosto. Estas embarcações possuem capacidade para transportar até 325 mil toneladas de minério de ferro.

Além do Brasil, de acordo com o Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, a companhia Siderúrgica do Chuchi (CSC) vai exportar pela primeira vez minério de ferro -mais de 60 mil toneladas- para a China, numa venda no valor de US$ 6 milhões.

Com informações da Agência Xinhua e Comex do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *