Tipos de Importação: conheça os principais

Tipos de Importação, Tipos de Importação: conheça os principais

Você conhece quais são os tipos de importação praticados no Brasil, bem como a importância de trazer produtos de outros países?

A importação é uma atividade econômica em que se compra um produto de fora e traz para o nosso país.

Assim, o comércio exterior nacional é fomentado, o que reflete em uma política comercial mais fortalecida.

No entanto, antes de realizar uma importação, as empresas interessadas devem entender qual o tipo de importação realizar.

Neste artigo, vamos te explicar sobre as modalidades de importação existentes. Acompanhe a leitura!

O que é importação?

A importação de um produto acontece quando um país compra mercadorias originárias de outro país.

No contexto brasileiro, a importação é tudo aquilo produzido em outro país, mas que trazemos para o território nacional por meio do transporte de carga.

Em outras palavras, é trazer um produto do mercado externo para o mercado interno.

A compra de chegada do bem em outro país tem tipos diferentes, em nível comercial ou não. Para operações do comércio exterior, existem três definições mais conhecidas.

No entanto, vale lembrar que importação também pode ser feita em escala menor, por consumidores que compram em sites estrangeiros, de modo informal.

Vamos te explicar abaixo os tipos de importação que podem ser praticados por empresas:

Quais são os tipos de importação existentes no Brasil?

Tipos de Importação, Tipos de Importação: conheça os principais

Cada tipo de importação foi desenvolvido para atender diferentes tipos de aquisição de produtos estrangeiros. 

Veja quais são os tipos de importação praticados no Brasil:

Importação própria ou direta

A importação direta, ou importação por conta própria, acontece quando a empresa importadora compra mercadorias do mercado externo por meio de seus próprios recursos.

Além disso, nesse caso, o importador é o responsável por cuidar do despacho aduaneiro do bem adquirido.

A empresa que adquire a mercadoria é o cliente final da operação aduaneira. No entanto, ela ainda pode utilizar o produto para consumo próprio ou revenda.

Já que a compra é realizada unicamente pela companhia importadora, ela é responsável por arcar com os gastos de logística e transporte.

É importante ressaltar que esse tipo tem o respaldo dos Regimes Aduaneiros Especiais, que tem como objetivo reduzir ou isentar os custos que envolvem as transações comerciais. Conheça os mais utilizados:

  • Depósito Alfandegado Certificado (DAC): é um Regime em que se permite que mercadorias a serem exportadas fiquem em um local alfandegado. Assim, a empresa exportadora não precisa gastar custos logísticos;
  • Depósito Especial (DE): esse Regime permite que as empresas estoquem peças, componentes e materiais de máquinas, equipamentos ou veículos, sem o pagamento de impostos; 
  • Drawback: tem como objetivo suspender ou isentar tributos de processos de exportação;
  • Entreposto Aduaneiro: permite o armazenamento de mercadorias em locais alfandegados, sem a necessidade do pagamento de alguns impostos federais;
  • Admissão Temporária: é o Regime que permite a importação de mercadorias que ficarão no país de modo temporário, com a suspensão da cobrança de tributos. 

Importação por conta e ordem de terceiros

A importação por conta e ordem de terceiros é um tipo praticado por mais de uma empresa, visto que os processos que envolvem a compra do bem são assumidos de forma separada.

Não ficou claro? Te explicamos melhor.

Esse tipo de importação acontece a partir da contratação de uma empresa terceirizada para realizar a importação.

Dessa forma, ela fica responsável por cuidar do processo, de forma mais especializada. Assim, a empresa importadora não precisa contar com um setor específico para a tarefa.

É uma modalidade interessante para os dois lados. A empresa terceirizada recebe pelo serviço realizado e a empresa importadora recebe o produto já nacionalizado, enquanto foca em outros processos.

Importação por encomenda

A importação por encomenda é o tipo em que a empresa importadora realiza todo o processo de compra de produtos, para depois vender ao cliente final.

Nesse sentido, ela pode ser a modalidade menos segura, logo que é preciso conseguir efetuar a comercialização dentro do país.

De qualquer forma, com um modelo de venda bem estabelecido, a importação por encomenda pode funcionar perfeitamente. Se a compra de fato for concluída, por exemplo, ela dará retorno, 

Além disso, para empresa, é preciso analisar a precificação do produto em território nacional, pois ela é responsável por arcar com todos os gastos que, além do valor do produto, também contemplam tributos e transporte.

Quais os tributos sobre as operações de importação?

Os tributos sobre operações de importação são vários, seja em abrangência nacional ou estadual. Abaixo, separamos maior detalhamento sobre os tributos:

Impostos de abrangência nacional

Os impostos de abrangência nacional são taxados para importações de todo o país. Como exemplo, é possível citar:

  • Imposto de Importação (II): tributo federal que é gerado a partir da entrada em solo brasileiro de um produto internacional;
  • Imposto sobre Produto Industrializado (IPI): imposto federal que incide sobre produtos listados na Tabela de Incidência do Imposto Sobre Produtos (TIPI), que tem como base a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM);
  • PIS: trata-se de uma contribuição social para financiamento da seguridade;
  • COFINS: é uma contribuição social, também para financiar a seguridade social. 

Impostos de abrangência estadual

Os impostos de abrangência estadual valem apenas em determinados estados, de acordo com a sua regulamentação própria. 

Um dos principais tributos estaduais é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). 

Esse tipo de imposto é calculado de acordo com as normas de cada estado, logo, o valor será alterado a depender do estado em que se realiza a importação.

Qual a importância do Comércio Exterior?

Tipos de Importação, Tipos de Importação: conheça os principais

O Comércio Exterior apresenta inúmeros fatores que são importantes para a economia brasileira. O primeiro deles é que ele possibilita a aquisição de produtos não disponíveis no país.

Além disso, o Comércio Exterior intensifica e fortalece as relações comerciais internacionais, impactando assim a economia nacional.

A exportação, atividade do Comex, é de extrema importância para economia, visto que o Brasil exporta produtos agrícolas, como soja, trigo e milho em grande quantidade.

Se você deseja conhecer sobre operações do setor de COMEX, conheça a Narwal Sistemas, que oferece as melhores soluções digitais, de modo a integrar as principais plataformas utilizadas no comércio internacional. 

Conheça a melhor solução de COMEX da América Latina para a sua empresa!

Conclusão

Existem três principais tipos de importação praticados no mercado brasileiro: importação própria ou direta, por conta ou ordem de terceiros e, por fim, a importação por encomenda.

Entender qual é o tipo que mais se encaixa ao seu modelo de negócio é fundamental para ter sucesso.

Ainda, caso a modalidade possibilite a solicitação dos Regimes Aduaneiros Especiais, veja se a sua mercadoria se encaixa em algum deles. Isso pode reduzir gastos.

Se você gostou deste artigo, leia também sobre como a tecnologia contribui para a inovação do setor de comércio exterior.Para mais informações relevantes sobre Comex, assine a nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.